Quanto custa o gabinete do vice-prefeito de Maringá?

Segundo uma fonte, existe o Assessor I, que seria uma espécie de chefe de Gabinete, Manoel Gomes, que consta estar lotado no Gapre, salário de R$ 7.140,00, sendo sua presença no Gabinete, digamos, ocasional. Nem sequer a agenda do vice-prefeito ele, o chefe de gabinete, tem independência para fazer. A agenda do vice seria feira pela secretária do prefeito (Angela), que o chama para eventos onde o prefeito não pode ou não quer ir. Há outro CC que anota recados (serviço de efetivo) e que minha fonte não soube dizer se é Assessor II, III, ou IV. Vamos considerar que seja IV. Entre salários e encargos estimamos que o custo mensal fica em torno de R$ 30.000,00 ou R$ 360 mil por ano, cerca de R$ 1.440.000,00 em quatro anos. Vale? Qual a relação custo benefício? Se Maringá não tivesse vice-prefeito, alguma coisa ficaria sem ser feita? São situações como essas, que multiplicadas por todos os municípios brasileiros chega-se aos rombos bilionários que os governos cobrem com mais impostos e torna a aprovação da CPMF indispensável, somando-se os milhares de CCs meros cabos eleitorais, o número de vereadores inúteis. É revolvante que não façamos nada. Onde estão a CNBB, OAB, pastores sérios? E nós, o povo, vamos para as redes sociais, encher a caixa de email de deputados e senadores.
Mas voltando ao gabinte do vice, ele acha que o povo maringaense está feliz, apesar de tudo.
Akino Maringa, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

12 pitacos em “Quanto custa o gabinete do vice-prefeito de Maringá?

  1. Todo este dinheiro gasto desnecessariamente,quando Maringa estava passando por uma catástrofe,ele se mandou para o exterior,deixando um cidadão de moral duvidosa na Prefeitura,e a cidade sem Agua nem para beber!!!

    • Paulo Vergueiro diz:

      Ao corintiano das 19:07:
      O Prefeito Carlos Roberto Pupin já estava em férias nos Estados Unidos quando o fato da Sanepar aconteceu. Portanto ele não largou a cidade como parece voce sugeriu no seu texto. O ERRO DO PREFEITO não foi antecipar sua viagem imediatamente. Com relação a “moral” do PUPIN, me permito dizer que o ciddão (ã) de Maringá pode dizer muita coisa do Prefeito, ms de sua moral, não! ele é honesto e sério. As circunstâncias da política brasileira e Maringá não é diferente é que é o problema.
      Grato

      Ao Anônimo das 00:21:
      Esse senhor, Prof. Claudio Ferdinandi “não tem cargo” no Unicesumar! ELE É SÓCIO DA UNICESUMAR e por isso exerce função administrativa, assim como outros sócios. (nem todos, posto que não são de nossa Maringá)
      Grato

      Ao Akino, se é que existe:
      O auxiliar e anotações gerais, segundo sei é nível III e tem por isso remuneração em torno de R$-3.140,00.

      Com relação as atividades do gabinete servem também como “ponto de encontro” da fatia do bolo PMDEBISTA, uma espécie de “canto neutro” para debates e embates políticos.

      Grato pela oportunidade de “pingar alguns I’s”.

      • Falo bem cczao….garantiu o seu $$$ do mês…que venha o leitinho do povo pra vc….ass. Idiota que votou em vc

        • Paulo Vergueiro diz:

          Iludido das 20:40.
          Voce é louco? quer que desenhe? Que salário do mês? quem votou em quem? Voce bebeu?

      • Professor diz:

        Cadê MP dessa cidade…..todos verem esses vergonha na prefeitura. Comandado pelos fdonos da cidade.e a educação com dono de empresa privada….Cesumar é o dono. Ki vergonha….

  2. Audrêi Conteçotto diz:

    já passou da hora de mudar esse quadro né, por favor Maringá vamos mudar, é preciso que o povo se interaja mais à respeito do que ocorre em Maringá, e saiba votar, vamos mudar meu povo.

  3. Akino, sua revolta é a nossa também. Esses assessores com salários de 7 paus deveriam é ter vergonha na cara de receber um valor desses e não fazer nada para merecê-lo. São os abutrezinhos que voam nas sombras dos abutrezões. Execráveis!

    Quanto aos e-mails para deputados federais e senadores, esqueça; eles não leem nada. Deputado federal e senador só se sente acuado quando a gente os encontra na rua e mete logo uma pergunta direta sobre sua atuação nas Casas do Congresso Nacional na frente de todo mundo. Eles ficam com aquela cara de vaca-na-horta… Mas saindo dali ele dá risada e não faz nada mesmo. Trocando em miúdos: essa gastação de dinheiro público ‘a rolé’ só pode ser contida pelo MP. Porém…

    Há um senador por aí que andou mudando de partido recentemente, e que é o exemplo típico – sem tirar nem pôr – do que disse acima.

  4. Afronta!

    Um gabinete de um vice prefeito de Maringá, sem nenhuma função, é uma verdadeira afronta ao Contribuintes maringaenses.

    Entre salários e encargos estimamos que o custo mensal fica em torno de R$ 30.000,00 ou R$ 360 mil por ano, cerca de R$ 1.440.000,00 em quatro anos.(Akino Maringá).

    Isso fora a estrutura que não está computada, água luz, café, encargos, e fale serio, o que produz um Gabinete do Vice Prefeito? Se já não vejo nem o Gabinete do Prefeito funcionar.

    Poderia deixar o QG, da Avenida Prudente de Morais, pois pelo menos, estes custos, constitucionais não há! E de lá sai todas as determinações, é o jeito do PP governar, não podemos reclamar, eles ganharam a eleição.

    Não é Akino Maringá, meio sem jeito, mas levaram, e também não podemos reclamar são competente, eu não posso dizer pelo Akino Maringá, mas eu digo que todos os dias comentei, o passo a passo TSE, até o final do processo! Lógico sempre pegando a carona do meu mestre Akino Maringá.

    E quando nós estávamos, no acabamento do processo, no alto da parede, em cima de uma escada, tiram a escada, e ficamos apenas com as brochas nas mãos! E eu digo por mim, sai como o errado! Não é pacabá mesmo! Como que você analisou aquele fato Akino Maringá?

    José Fuji/PDT;Maringá!

  5. Akino Maringá diz:

    Nem fale Fuji, só de lembrar me dá uma coisa ruim. O caso mais ganho que acomapnhei. Brilhante a decisão do TRE- PR, seis a zero, como um parecer irretócavel do Promotor Dr, Pedro Ivo, que veio a substituir Dr Cruz.

Deixe seu pitaco