Irmã de empreiteiro se apresenta no Gaeco e é presa

Foi cumprido na manhã de hoje o mandado de prisão preventiva contra a irmã do proprietário da empresa Valor, envolvida na Operação Quadro Negro, que estava foragida desde 15 de janeiro.
Ela se apresentou na sede do Gaeco de Curitiba, e será encaminhada para a Penitenciária Feminina de Piraquara. O mandado de prisão foi expedido pela 9ª Vara Criminal de Curitiba.

Baratek 10

Em janeiro, a 9ª Vara Criminal de Curitiba recebeu denúncia oferecida pelo Gaeco contra 15 envolvidos em desvios de recursos destinados a obras em escolas, licitadas pela Secretaria Estadual de Educação, investigados na Operação Quadro Negro. Na ocasião, a Justiça havia decretado, também, a prisão preventiva de duas pessoas que já haviam sido denunciadas: a esposa e a irmã do proprietário da empresa Valor. A primeira foi presa no dia 15 de janeiro e a segunda não havia sido localizada.
O Gaeco relata, na ação penal, que empresários e servidores públicos constituíram organização criminosa para desviar dinheiro público, atestando falsamente que fases de diversos serviços estavam adiantadas para que a empresa recebesse valores indevidos do Estado. Os fatos se estenderam de 2013 até pelo menos meados de julho de 2015, causando aos cofres públicos prejuízo estimado em R$ 18 milhões.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.