Na mão grande

extorsão

Lembram da postagem sobre o gabinete do vice-prefeito de Maringá, que virou comitê eleitoral do PMDB?
Pois um empresário conta que há pelo menos mais um gabinete de secretário municipal da administração Pupin/Barros que virou escritório de campanha, com direito a uma tesouraria adjunta.

Chamado para conversar com um secretário, ele confidenciou a um amigo ter sido extorquido.
O secretário de Pupin disse que vai disputar a próxima eleição, que vai sair no final do mês e que precisa de dinheiro para fazer a campanha.
Chegou a apontar um auxiliar que ficará responsável por ir buscar dinheiro em sua empresa, todos os meses. E já ficou com a primeira parcela.
A história teria acontecido com outros empresários, mas ninguém tem interesse em denunciar o fato ao Ministério Público. Temem retaliações da administração – que criou “laços” praticamente em todos os segmentos da sociedade maringaense, incluindo Legislativo e Judiciário. (Ilustração s/ foto de Ri_pa1990)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.