Posição oficial da Siep sobre as ocupações no Paraná

siep

Nota da Sociedade de Integração dos Estudantes Paranaenses:

O que te faz arrepiar? O que te faz deixar sua vida, seus projetos, seus planos e seu próprio futuro?
A Siep não pode se calar diante de um movimento tão grande e tão significativo como as ocupações de colégios, universidades e núcleos de educação do Paraná.

Nossa entidade sempre teve orgulho de ser uma instituição com grande pluralidade de ideias.
Temos membros espalhados por todo o estado. Jovens estudantes, pessoas que se engajam e lutam por aquilo que acreditam ser melhor para o nosso amado estado.
Todos que se voluntariam por uma causa merecem respeito e voz.
Uma nota como esta poderia ter tom jurídico, com embasamento legal bem fundamentado citando instituições como a OAB, CNBB, Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Procuradoria Geral da República ou outras instituições que já cumpriram seu papel se posicionando e explicando sua visão jurídica dos fatos.
Acreditamos que este papel já está sendo cumprido.
Somos jovens, apaixonados por este país, acreditamos que nosso papel é outro.
Mesmo com fatos como a PEC 241, reforma do ensino médio, ou com as promessas do governador para com os servidores que provavelmente não serão cumpridas, temos membros em nossa entidade que são contrários as ocupações. E não são poucos.
A população, em geral, não apoia este movimento.
Seria muito mais fácil para nós, seguir o fluxo e construir capital político nos posicionando como entidade contrários a este movimento. Ganharíamos apoio de muita gente, mas como poderíamos fazer isso?
Como poderíamos escolher o caminho mais fácil sendo que a primeira ocupação de colégio do Paraná aconteceu no Gerardo Braga, em Maringá, que tem seu Grêmio presidido pelo hoje Vice-Presidente de nossa entidade?
Como poderíamos dormir a noite sabendo que não estamos fazendo o papel principal da nossa entidade, que é conscientizar os estudantes paranaenses dando a estes munição para que possam refletir a sociedade em que estão inseridos?
Simplesmente não podemos fechar os olhos para o que está acontecendo.
Muitos membros da Siep estão liderando ocupações, colaborando, fazendo seu papel cidadão, deixando suas vidas de lado para defender o que acreditam, assim como temos membros que acreditam que as ocupações de nada adiantam, e que prejudicam o estudo daqueles que não podem pagar para estudar. Muitos estudantes, que também são trabalhadores, pensam assim.
Quem está com a razão?
Fizemos uma reunião com diretores da nossa entidade a nível estadual para definir uma posição e responder aos estudantes, mídia, demais entidades e sociedade qual é a nossa posição de fato. A deliberação foi pelo apoio as ocupações. Um apoio consciente, que busca resolver o problema da maneira mais inteligente o possível.
Somos uma instituição acima de tudo independente: Não temos rabo preso com NENHUM partido político, não devemos nada a ninguém, apenas aos estudantes paranaenses que merecem respeito e respostas.
Legitimamos aqui a luta daqueles que acreditam estar fazendo o que é certo. Aqueles estudantes que amam o Paraná e que querem o melhor para o nosso estado.
Os acontecimentos políticos recentes no Brasil necessitam ser explicados para que os jovens de hoje saibam pelo que estão lutando, doando suas vidas.
Não concordamos com nada que se coloque contra a educação, como a PEC que congela os investimentos públicos por 20 anos. Mas não é apenas disso que estamos falando. Estamos tratando de algo muito maior. Estamos falando de jovens que estão crescendo num país descrente em sua política, que é diariamente criminalizada.
Acreditamos que apenas através da conscientização real da juventude conseguiremos construir um país melhor para as gerações futuras, e segundo a nossa ótica, não é tornando matérias como sociologia, filosofia e artes opcionais que atingiremos essa conscientização.
Sempre lutamos para garantir a voz de todos os membros de nossa entidade, onde muitos, como já citamos, se colocam contra as ocupações, mas diante de um cenário como este, não é possível não ter uma posição clara sobre o que está acontecendo em nosso país e em nosso estado.
A Siep nunca se calou e nunca se calará diante de injustiças.
Compreendemos sim, que as ocupações talvez não sejam o meio mais eficaz de mudar de fato a realidade, mas compreendemos também que esta é uma forma que muitos estudantes encontraram para manifestar o descontentamento com o que vem acontecendo em nosso país, e isto é sim muito legítimo.
Mais uma vez reafirmo que não temos ligação com nenhum partido político, nenhuma central sindical e antes que afirmem algo do tipo, nossa independência nos dá a força necessária para não sermos massa de manobra de ninguém.
Nosso compromisso é com o estudante paranaense, e é por isso que a partir de agora intensificaremos o nosso apoio as ocupações e a todas as formas de luta por uma educação melhor em nosso estado e nosso país.
Estamos abertos, e sempre estivemos, a todo tipo de ideia, diálogo, sugestão, crítica ou contribuição para nossa instituição.
Apenas com honestidade, seriedade e amor, construiremos um país melhor.
Deus abençoe o Brasil,
Deus abençoe o estado do Paraná.
Assinam esta nota,
Marcos Willian Loiola da Costa, presidente da Sociedade de Integração dos Estudantes Paranaenses, e diretoria da entidade.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.