Mais um CC na Sesan, um absurdo

CC

A Secretaria de Saneamento Básico, assim como a AMR, é um dos maiores absurdos administrativos, usado para desvio de recursos públicos, na administração Pupin/Barros.
Pois não é que agora, às vésperas de encerrar suas atividades, pois até o candidato derrotado, Silvio Barros, disse que acabaria com ela, acontece mais uma nomeação de CC, no caso Geraldo Lourenço dos Santos, como assessor III, salários de R$ 3.163,43, a partir de 9 de novembro.

Para fazer o que, secretário Grillo? Quem é o Geraldo? Indicado de quem? Já não há o que fazer, dentro das atribuições legais, para o secretário, dois diretores, dois assessores, verdadeiros aspones, inclusive dois parentes dos Barros, indiretamente.
É como abrir o cofre público, retirar dinheiro e repassar para uma pessoa. Talvez ele nem tenha culpa, mas isso é criminoso, com os recursos públicos. Num país onde os recursos públicos fossem tratados de maneira séria, gente envolvida em casos como esse iria para a cadeia. Que isso não mais aconteça em Maringá, é o que esperamos a partir da gestão Ulisses Maia.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.