Prefeito Ulisses Maia…

… e vice Edson Scabora: Nossa solidariedade, diante dos ataques que têm sofrido nos últimos dias,com acuações totalmente infundadas, que estão confundindo algumas pessoas. De uma amiga recebi a seguinte mensagem: Votei no Homero, porque cheguei à conclusão que uma pessoa que deixa um emprego público estável, com salário de cerca de R$ 15 mil mensais, para se dedicar à política, só poderia ser um político diferente.

Ele indicou, recomendou, apoiou Ulisses e votei neste, porque queria mudança. Agora o vereador fala tudo o contrário do que falou na campanha, Ulisses que era bom agora não é mais. O vereador passou a brigar com tudo e todos. Em quem acreditar? Já estou ficando arrependida de ter votado neles.
Disse a ela que acredito e confio piamente em Ulisses e Edson, com quem conversei algumas vezes. Que eles não temem fiscalização. Que querem transparência. Que o vereador está equivocado e se assim não fosse como entender os outros 14 vereadores. Estariam todos errados? Seriam todos incompetentes? Mal intencionados? Não, reafirmei. Ulisses e Scabora não armaram para cassar o mandato do vereador. O processo é resultado de equívocos dos vereador. De inimigos, muitos imaginários, que ele criou, ao ser contrariado, quando alguém ousou discordar dele. Expliquei que o processo não significa que o mandato vai ser cassado. Que ele terá todo direito de provar que é inocente, se for. Mas sobretudo que terá uma oportunidade de refletir sobre os equívocos que cometeu, inclusive o de acusar prefeito e vice de serem seus algozes e não o quererem fiscalizado os atos do Executivos. Que sejamos todos receptivos às intuições e orientações dos benfeitores invisíveis, a serviço da Inteligência Suprema, o Grande Arquiteto do Universo, Deus.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.