Interrogatório na Polícia Civil

Reportagem de Roberto Silva publicada em O Diário de hoje informa que o homem acusado de roubar o meu celular, há 51 dias, durante a sessão da Câmara de Maringá que decidiu pela abertura de Comissão Processante contra o vereador Homero Marchhese, será interrogado e indiciado criminalmente na próxima quinta-feira pelo delegado Luiz Alves, titular da Delegacia da Seção Furtos e Roubos.

“O delegado confirmou que quatro pessoas que presenciaram o ataque contra o jornalista já prestaram depoimento. No entanto, nenhuma delas teve a identidade revelada, bem como o autor do roubo, que teria sido identificado por meio de imagens gravadas por câmeras de segurança instaladas na Câmara.
Ainda segundo o delegado, o crime foi caracterizado como roubo mediante violência, uma vez que o jornalista foi agredido com um soco no rosto antes de ter o aparelho roubado. Alves, explicou que além de lesão corporal o agressor responderá por coautoria no roubo, pois teria ficado evidente que a sua ação facilitou a subtração do celular. O delegado não soube precisar a data em que o agressor será interrogado e indiciado.
Informado de que o celular roubado – um iPhone – teria sido hackeado e conteúdos do WhatsApp do jornalista – incluindo conversas com o prefeito Ulisses Maia (PDT) – divulgados, ontem de madrugada, em seu próprio site, que também foi invadido, bem como um conta de e-mail, o delegado explicou que a situação aponta para um novo crime.
“Isso caracteriza invasão de dispositivo informático, agravado pelo fato de conteúdos pessoais terem sido expostos a público”, salienta Alves, ressaltando que a pena para este tipo de crime passa de dois anos de prisão. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.