18 anos sem Betinho

No dia 30 de março próximo fará 18 anos da morte do carioca Alberto Borges de Barros, o músico Betinho, um dos pioneiros do rock brasileiro (Betinho e seu Conjunto) que passou os últimos anos de sua vida como pastor evangélico em Maringá, onde está sepultado.

Foi o pai de Betinho, Josué, quem lançou Carmen Miranda. Foi autor, em 57, de “Enrolando o rock”, versão de “Around the clock”, de Bill Halley, além da conhecida “Neurastênico”, que reviveu com a novela “Estúpido Cupido” e depois uma versão com o Jota Quest. Também em 57 ele apareceu em “Absolutamente Certo”, filme com Anselmo Duarte, Odete Lara e Dercy Gonçalves. Betinho, que foi meu breve amigo no final dos anos 90, morreu aos 82 anos.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.