Seria possível acabar…

… com moradores de rua em Maringá, dando-lhe condições dignas de vida? Um amigo, com conhece os meandros das administração Ulisses Maia/Edson Scabora, pensa que sim.

Segundo ele, Maringá recebe R$ 1 milhão por ano para atendimento a moradores de rua e conta com um portal de inclusão apenas para moradores do sexo masculino e estaria fazendo muito pouco para cumprir uma promessa de campanha que seria de zero em população de situação de rua.
Falta gestão na Sasc, disse. Não adianta trocar de Secretário e não colocar quem tem conhecimento de políticas púbicas de assistência social. Uma coisa é conhecer organizações particulares e outra, muito diferente é conhecer a Sasc. Isso porque a Sasc é gigante… é um mundo à parte na administração municipal. Chega de amadorismo.
Meu comentário (Akino): Não conheço a secretaria, mas conheço o trabalho do Vandré Fernando, que me parece conhecer bem a área. Conheço também o Eliseu, com quem conversei longamente antes e depois, e acho que suas opiniões não podem ser totalmente desconsideradas. Ele pode ter razão em muitos pontos.
Akino Maringá, colaborador
(*) Foto Ricardo Lopes/Metro

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.