Secretário Chiqueto…

… precisa ser mais ouvido. Ao lembrar, ontem, da importância de Bovo, nas administrações Barros/Pupin, destaco o atual, Orlando Chiqueto, a quem não conheço pessoalmente, mas que tenho boas referências, da capacidade e integridade.

Chiqueto precisa ser mais ouvido e digamos, obedecido, pois a situação pode sair do controle. Uma sugestão que daria à administração é, eventualmente, a acumulação, como acontecia com Bovo, de Fazenda e Gestão, já que ao secretário, Alex, deve deixar a administração. Ou um nome, para Gestão, que estivesse em plena sintonia com o secretário. Há situações, e não são poucas, em que o prefeito precisa deixar nas mãos dos secretários, sobretudo o ônus de dizer não e os de Fazenda e Gestão, devem ser de absoluta confiança e com capacidade suficiente para agir, ainda que contra a vontade íntima do chefe. Não pode, não pode. Vai ter desgaste político? Inevitável. Está na hora de começar a negar o que não é possível. Vereadores precisam compreender que o interesse geral deve prevalecer sobre o particular (político de cada um). Fiscalizar é ajudar. Não se pode fechar os olhos para suspeitas de incompetência e irregularidades, mesmo para as que não cheirem ‘mal feitos’, no sentido de roubo, pois quero crer que isto não existe na atual administração.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.