Barracas permanentes?

Leitor questiona a quantidade de barracas (de pastel, cocada etc.) na área central de Maringá, nas proximidades da praça Raposo Tavares, e no Centro de Convivência Comunitária Renato Celidônio.

Questiona principalmente o fato de estarem lá fora das épocas de eventos, como as festas das Nações e da Canção, como se fossem permanentes. “Tem coisa aí”, desconfia.
O blog soube que a prefeitura está tomando providências em relação às barracas.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.