Para que serviram os votos de Aécio?

Foram mais de 51 milhões na eleição de 2014, que na prática hoje nada valem para ele, como liderança. Antes, em 2010, de falou dos mais de 2 milhões de votos de Ricardo Barros, como algo extraordinário, que se firmava como liderança estadual e na prática, nada.

Comento isso para se referir a importância de está se dando aos 47 milhões de votos de Hadadd, e sobre os que pensam que ele se credencia como liderança no cenário político nacional.
Penso que muitos votos não foram dele, nem do PT, mas contra Bolsonaro, assim como muitos votos de Bolsonaro foram mais contra do PT do que a seu favor. Logo, não nos iludamos com a montanha de votos dele. Podem servir tanto quanto os de Aécio e de Ricardo Barros.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.