Esses políticos e seus assessores

Reportagem da revista IstoÉ mostra que o caso do motorista Fabrício José Carlos de Queiroz não parece ser um caso isolado na vida política do clã Bolsonaro.

A revista descobriu, fazendo uma simples busca nas contas eleitorais, que nos gabinetes do presidente eleito Jair Bolsonaro e de seus filhos, por mais de uma vez, funcionários fizeram doações eleitorais e trabalhos políticos para as campanhas da família, em valores que certas vezes chegavam a ultrapassar os próprios salários ganhos (leia mais).
O Estadão reforça: funcionários de Flávio Bolsonaro repassaram até 99% dos salários. Foi esse o caso de Nathalia Melo de Queiroz, filha do ex-servidor que, no período investigado, repassou a ele R$ 97.641,20, hipotético crédito mensal médio de R$ 7.510,86. A quantia equivale a 99% do pagamento líquido da Alerj a Nathalia em janeiro de 2016, segundo a folha salarial do Legislativo fluminense (leia mais).
Em Maringá, também basta uma simples conferida no site da Justiça Eleitoral para ver que nas últimas eleições teve político eleito que recebeu boa parte das doações dos próprios assessores.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.