O patrocinador do vôlei continuará sendo o bolso do paranaense?

O deputado federal Ricardo Barros continua forte no governo do estado, apesar dele apeado.

Baratek 10

O Copel Telecom Maringá Vôlei, do ex-jogador Ricardinho, vai mudar de nome – que, tudo indica, continuará sendo de uma estatal ligada ao governo paranaense, possivelmente a Sanepar.
O time nascido e batizado pelo deputado pepista está sendo investigado pela Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público, que inclusive bloqueou bens do ex-levantador da seleção brasileira de vôlei. A suspeita é de desvio de dinheiro público. Na gestão de Carlos Roberto Pupin (PP), a Prefeitura de Maringá repassou R$ 880 mil ao clube, que não comprovou onde aplicou a dinheirama. Nada mais nada menos que R$ 500 mil em espécie teriam sido sacados na boca do caixa.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.