Fazenda Marabá é ameaçada por pragas

MG1

A semana foi de novidade na Fazenda Marabá, em Campo Verde (MT), de propriedade do maringaense José Pupin (foto), que já foi o Rei do Algodão. Apontada até há algum tempo como modelo, a propriedade hoje está ameaçada de interdição por ter se tornado “um imenso e inacreditável foco de disseminação de bicudos e ferrugem”.

MG1

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ingressou com ação contra o Pupin, dono do grupo JPupin, requerendo a interdição de três áreas rurais na Fazenda Marabá, por descumprimento de medidas fitossanitárias após a realização da colheita de algodão.
Autos de fiscalização do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso realizados no local comprovam que restos culturais do algodoeiro não foram eliminados, fator determinante para o aparecimento do bicudo-do-algodoeiro, principal praga da cultura.
Na ação, o promotor de Justiça Marcelo dos Santos Alves Corrêa destaca que as condutas praticadas pelo proprietário da fazenda colocam em risco todo o potencial produtivo e a economia da região, já que a praga pode se alastrar para as propriedades vizinhas e requer a adoção de providências imediatas, sob pena de pagamento de multa.
A propriedade, segundo o MPMT, já foi multada pela Indea, informa Arthur Santos da Silva.
A fazenda foi posta em leilão em 2018, com lance inicial de R$ 64 milhões. José Pupin passa por recuperação judicial, ajuizada no dia 28 de agosto de 2015, por dívidas que somam aproximadamente R$ 898 milhões. O Grupo Jpupin nega. Leia mais.
Abaixo, uma das reportagens de Joãao Batista Olivi, do Notícias Agrícolas, sobre a fazenda:

[vimeo 329165536 w=640 h=360]

Fazenda-modelo Marabá, do grupo JPulim virou um imenso e inacreditável foco de disseminação de bicudos from Notícias Agrícolas on Vimeo.

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.