Bolsonaro sugere que Brasil poderia ser derrotado pela Venezuela

De Reinaldo Azevedo, em seu blog:

O presidente Jair Bolsonaro deu à luz a sua maior bobagem sobre as Forças Armadas brasileiras desde que assumiu o cargo e falou um conjunto impressionante de besteiras sobre a crise na Venezuela. Também resolveu rasgar a Constituição.

E Rodrigo Maia, presidente da Câmara, já reagiu. Entendo que, em benefício da segurança do país, da tranquilidade dos brasileiros e da verdade, conviria que os respectivos comandantes das Três Forças, não com o ânimo de confrontar o presidente, porque seria descabido, mas de restaurar a ordem dos fatos, viessem a público com números na mão. Poderiam fazê-lo por intermédio do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. Numa entrevista por telefone a José Luiz Datena, na Band, Bolsonaro deu a entender que o Brasil poderia ser derrotado numa eventual guerra com a Venezuela. Não! Não estou de má vontade nem superinterpretando. Com todas as letras, falou o grande líder, referindo-se às Forças Armadas do Brasil: “NÓS NÃO PODEMOS FAZER FRENTE A NINGUÉM”. E ainda: “A NOSSA PREOCUPAÇÃO É MUITOS MAIS NÃO SERMOS INVADIDOS DO QUE INVADIR”. Disparou inverdades clamorosas sobre o suposto sucateamento da área. Para o presidente, se algum país quiser invadir o Brasil, “as nossas Forças Armadas têm um poder de reação um tanto quanto pequena (sic)”.
Sim, conceder entrevistas a quente pode ser positivo para os governantes. Mas é preciso saber o que dizer. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.