Deputado que não apoiou Ratinho recebe tratamento vip da Casa Civil

O chefe da Casa Civil, deputado licenciado Guto Silva, deve começar a se preocupar com a interlocução política entre o governo do estado e Maringá, que aparenta estar abandonada.

Ontem, em Maringá, um deputado que apoiou Cida Borghetti (PP) foi novamente paparicado pelo coordenador de Assuntos Políticos da Casa Civil, Rodrigo Pina de Almeida. Alçado há pouco tempo à condição de chefe da Coordenação de Assuntos Políticos da Casa Civil, Rodrigo Pina, ex-presidente estadual do PHS, esteve com o deputado Homero Figueiredo Lima e Marchese, do Pros – partido que no Paraná apoiou a mulher de Ricardo Barros e coligou-se com o PT apoiando Fernando Haddad a presidente – em visita à Apae de Maringá.
O parlamentar estava ao lado do assessor da Casa Civil (no alto, à dir.), na visita que teve o secretário de Estado da Educação, Renato Feder e o chefe do Núcleo Regional de Educação, Luciano dos Santos, ontem, depois de um evento na Acim. Ele é o único dos três deputados estaduais do Pros que vota geralmente com o governador, e em troca recebe um tratamento especial de Rodrigo; na prática, porém, o Pros na Alep é oposição ao governo estadual. Na terça-feira, o deputado do Pros foi recebido pelo assessor com entusiasmo ímpar no Palácio Iguaçu.
Enquanto isso, deputados da região que integram a base do governo são ignorados, nem informados de eventos em Maringá; no caso da visita à Apae, sequer convidados, aparentemente de propósito. Na Assembleia Legislativa, por exemplo, a Apae de Maringá tem como representante o Dr. Batista (PMN), que, assim como deputados da base, não foram comunicados da visita à entidade. Para alguns deles, Rodrigo Pina de Almeida está trabalhando contra ao se tornar assessor especial de um só parlamentar.
Não é a primeira vez que o deputado do Pros recebe tratamento vip do assessor especial da Casa Civil. Logo após a eleição, Cida ainda abalada pela derrota, o primeiro deputado eleito a ser levado por Pina ao governador recém-eleito Ratinho Junior foi justamente o que não apoiou e não votou em Ratinho Junior. Desde aquele episódio, para observadores e até deputados, ficou claro que algo estava estranho.

PS – Rodrigo Pina de Almeida informa que todos os deputados receberam a agenda (abaixo), que não especificava a visita à Apae e sim “visitação a escolas de Maringá”. Segundo ele, foi “totalmente imparcial”.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.