CEP suspende calendário

Com 99 votos favoráveis, três contrários e três abstenções o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual de Maringá decidiu hoje manter a data de realização do Vestibular de Inverno 2019 e suspender o calendário acadêmico a partir do dia 26, quando foi deflagrada a greve na UEM.

A decisão está publicada na resolução 06/2019. Durante a discussão da matéria foi apresentada e rejeitada uma segunda proposta, sugerindo uma nova data para a suspensão do calendário. A manutenção da data do Vestibular de Inverno 2019 ainda passou pela avaliação do comando de greve que se reuniu logo após a decisão do CEP e votou favorável à realização do concurso nos dias 14 e 15 de julho, conforme programado.
O comando também foi favorável à realização do teste seletivo na UEM, que será realizado domingo, 30, no câmpus sede. Estarão abertos os portões da rua 10 de Maio, da Lauro Werneck e da Vila Esperança. A informação está no site da instituição.
Leitor atenta para as possíveis consequências da decisão: interrupção do primeiro semestre letivo a 15 dias do término; interrupção da prestação de serviço pelo professores celetistas/temporários cujos contratos findam no dia 31 de julho. A dúvida: será que ogoverno não encerrará imediatamente esses contratos deixando para os professores estatutários/efetivos assumirem a carga horária dos demitidos na reposição dos dias de greve?

PS – Um fato atípico na reunião do CEP de hoje, alerta servidor. Em tempo, conforme previsto no Regimento desse conselho, um conselheiro (professor do campus de Umuarama) pediu “vista ao processo” e o reitor simplesmente desrespeitou a norma, negando o pedido feito pelo conselheiro.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.