‘Possíveis privilégios’ na Seplan

O promotor de justiça Leonardo da Silva Vilhena, da 20ª Promotoria Pública de Maringá, transformou em inquérito civil público uma notícia de fato para apurar denúncia na Secretaria de Planejamento e Urbanismo.

Na deliberação, assinada dia 1º, ele informa que o inquérito tem prazo de um ano para “apurar a conduta da administração pública em relação a possibilidade de irregularidades na concessão de alvarás de construção, no sentido de existência de possíveis privilégios indevidos à ordem cronológica de pedidos”.

(Foto: Cary Bertazzoni/PMM)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.