De novo, de Maringá, só Fahur
vota de forma consciente

Dos deputados federais por Maringá, somente o Sargento Fahur (PSD) votou contra a excrescência aprovada ontem por 252 a 150, na Câmara dos Deputados, que ressuscitou parte das regras eleitorais que o Senado havia sepultado na véspera (leia mais).

Com a aprovação, abre-se espaço para o caixa dois e políticos com ficha suja poderão usar dinheiro público para se defender. A esperança é que o presidente Jair Bolsonaro vete o projeto quando este chegar ao Palácio do Planalto.
O Sargento Fahur votou “sim”, neste caso contra o restabelecimento do texto que havia saído do Senado. Votaram “não”, pelas novas regras bancadas com recursos públicos, os deputados Enio Verri (PT) e Luiz Nishimori (PL). O deputado federal Ricardo Barros não votou. Tamnbém votaram “sim”, e foram vencidos, os deputados Rubens Bueno (Cidadania), Gustavo Fruet (PDT), Diego Garcia (Podemos), Aliel Machado (PSB), Evandro Roman (PSD), Boca Aberta (Pros), Aline Sleutjes, Felipe Francischini e Filipe Barros (PSL). Veja aqui.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.