Hospital Psiquiátrico de Maringá completa um ano de portas fechadas

Diretoria briga na justiça para voltar a atender pacientes em situação de vulnerabilidade

O Hospital Psiquiátrico de Maringá completou um ano de portas fechadas nesta semana. A diretoria do hospital tenta na justiça a reabertura do espaço, para garantir o tratamento de pessoas com transtornos mentais ou com dependência química. Diversas entidades manifestaram apoio à reabertura do espaço, como Uningá, UniSMG e Sencac.

A diretoria do hospital busca apoio de entidades locais, para reivindicar o direito de garantir o tratamento de qualidade aos seus pacientes, dos quais, muitos, estão na rua desamparados. Não há, ainda, previsão de reabertura do hospital, apesar de todos os esforços.

“É muito triste passar por pontos da cidade e encontrar ex-pacientes que precisam de ajuda. No hospital, eles recebiam tratamento adequado e eram cuidados. Hoje essas pessoas estão desamparadas e nas ruas, sem cama, no frio e sem nenhum tipo de suporte”, disse Maurício Parisotto, vice-presidente do Hospital.

O espaço passou por diversas adaptações em melhorias, após demanda do poder público. Mesmo com todo investimento feito, as autoridades negam a reabertura do espaço, gerando sucessivos prejuízos à instituição, cuja totalidade dos leitos é viabilizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e era referência não só para Maringá, mas para todo o Paraná.

Com o fechamento, os recursos oriundos de repasse do SUS foram cessados. Emendas feitas por parlamentares que garantiriam melhoria na estrutura do espaço – para o melhor atendimento da população – também não chegaram à ponta e não puderam ser utilizados pelo hospital.

“Praticamente de um dia para o outro eles resolveram nos fechar e acabar com o atendimento. Além dos nossos pacientes que precisam da nossa ajuda, tínhamos uma estrutura com mais de 100 funcionários que de uma hora para outra ficaram desassistidos. É um transtorno gigantesco para todos que dependem do hospital”, ressaltou Maurício.

Interditado em 15 de julho de 2022, o último paciente que ficou internado no Hospital deixou seu tratamento em 2 de agosto. Depois disso, nenhuma outra pessoa conseguiu tratamento – muito embora muitas pessoas em situação de rua passem ainda em frente ao espaço para pedir ajuda. Pouco antes de ser fechado, o hospital recebeu certificado nacional de referência em tratamento pelo ministério da cidadania

Hospital Psiquiátrico – O Hospital Psiquiátrico de Maringá atua há 60 anos no município e é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos. Atua no tratamento de pacientes com transtornos mentais e dependência química. É uma das referências no Paraná para essa modalidade de tratamento, auxiliando a população da macrorregião de Maringá.

Advertisement
Advertisement