Enade: Direito da UEM obtém nota máxima

Faculdade de Direito da Universidade Estadual de Maringá

Os resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2022, divulgados hoje pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, em Brasília (DF) confirmou o curso de Direito da Universidade Estadual de Maringá com a nota máxima entre as instituições estaduais de ensino superior e na cidade. Em Maringá dez instituições ofertam o curso de Direito.

De acordo com o Enade, a o curso de Direito da UEM (bacharelado) ficou com nota máxima, que é 5. a Universidade Estadual de Londrina ficou com 4. A PUC Londrina ficou com 3. A única particular local que obteve a nota 4 foi a UniCv. As demais instituições que têm Direito são Unicesumar, Uningá, Unifamma, SMG, Andreotti, Anglo e Feitep. O curso da UEM existe há 57 anos.

Em 2022, o Enade avaliou cursos vinculados ao Ano III do ciclo avaliativo do exame: bacharelado das áreas de administração, administração pública, ciências contábeis, ciências econômicas, direito, jornalismo, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado executivo, serviço social, teologia e turismo.

Também foram avaliados os cursos superiores de tecnologia das áreas de comércio exterior, design de interiores, design gráfico, design de moda, gastronomia, gestão comercial, gestão da qualidade, gestão pública, gestão de recursos humanos, gestão financeira, logística, marketing e processos gerenciais.

Além dos resultados nas provas, o Enade, por meio do Questionário do Estudante, permite traçar o perfil socioeconômico dos estudantes avaliados. A informação contextualiza os resultados da prova e pode ajudar na definição de políticas públicas e guiar melhorias das próprias instituições e dos cursos. A orientação do Inep é que as instituições se apropriem dos dados para melhorar seus processos pedagógicos.

Perfil do estudante – De acordo com o Questionário do Estudante, predominam entre os estudantes: mulheres (59,6%), brancas (52,9%), solteiras (67,9%), pais sem graduação (67,2%), pessoas com renda familiar entre 1,5 e 4,5 salários mínimos (69%) e indivíduos que trabalham 40h semanais ou mais (51,4%).

Na educação presencial, a maioria dos concluintes são jovens de até 24 anos, enquanto no ensino a distância (EaD), a faixa etária predominante é dos 31 aos 40 anos. 

Os resultados apontam também o número de concluintes que receberam subsídios ou bolsas para custear todas ou a maior parte das mensalidades. Entre os auxílios, estão o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade Para Todos (Prouni).

31,6% dos estudantes que responderam aos questionários são beneficiados por subsídios ou financiamentos públicos; 18,2 % dos concluintes de instituições públicas e 2,8% de instituições privadas receberam algum tipo de auxílio permanência; 43,1% dos concluintes de instituições privadas receberam algum tipo de bolsa e 9,9% algum tipo de financiamento.

Resultados – Considerando uma expectativa de notas em torno de 60 pontos, no caso dos cursos de bacharelado, comunicação social – jornalismo (56,89), secretariado executivo (57,82) e turismo (54,03) têm médias nacionais próximas às esperadas. Já nos cursos tecnológicos, houve destaque importante para tecnologia em design de moda (60,04) que teve a maior média.

Concluintes – A taxa de conclusão dos cursos avaliados pelo Enade 2022 entre 2017 e 2022 varia entre 11% e 16% (mais alta apenas no curso de teologia, que é 25,8%) nos bacharelados; e entre 23% e 30% nos cursos tecnológicos. Importante considerar que a duração dos tecnológicos é menor (entre dois e três anos) que no caso dos bacharelados.

Conceito Enade – Durante a coletiva, foi divulgado o resultado do Conceito Enade, que subsidia políticas públicas, processos de supervisão e regulação da educação superior. Educação a distância corresponde a 48,7% das matrículas dos cursos do Enade 2022 e 40% dos concluintes que fizeram as provas do Enade 2022. Em algumas áreas de avaliação, como ciências econômicas e relações internacionais, há grande concentração nos cursos EaD com conceitos 2 e 3.

Enade – O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, componente curricular obrigatório dos cursos de graduação, é constituído por um Questionário do Estudante e uma prova para avaliação de desempenho dos estudantes, composta por itens de formação geral, comuns aos cursos de todas as áreas, e de componente específico.

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial.

Aplicado pelo Inep desde 2004, o Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), composto também pela Avaliação de cursos de graduação e pela Avaliação institucional. Juntos eles formam o tripé avaliativo que permite conhecer a qualidade dos cursos e instituições de educação superior brasileiras. Os resultados do Enade, aliados às respostas do Questionário do Estudante, são insumos para o cálculo dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior.

A inscrição é obrigatória para estudantes ingressantes e concluintes habilitados de cursos de bacharelado e superiores de tecnologia vinculados às áreas de avaliação da edição. A situação de regularidade do estudante é registrada no histórico escolar.

O Ciclo Avaliativo do Enade determina as áreas de avaliação e os cursos a elas vinculados. As áreas de conhecimento para os cursos de bacharelado e licenciatura derivam da tabela de áreas do conhecimento divulgada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Já os eixos tecnológicos são baseados no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, do Ministério da Educação. (C/ MEC)

Advertisement
Advertisement