Lula pagou R$ 5,4 bi do orçamento secreto de Bolsonaro, revela levantamento

O pagamento foi feito graças a uma brecha aberta em decisão do STF. Entre os parlamentares de primeiro mandato beneficiados está Tião Medeiros, da região de Paranavaí

A colunista Natália Portinari, do UOL, levantou que R$ 5,4 bilhões foram pagos de emendas de relator (conhecidas até então como orçamento secreto) pelo atual governo, usando uma brecha na decisão do Supremo Tribunal Federal no final de 2022.

O ranking dos “restos a pagar” quitados pelo governo Lula inclui importantes aliados do governo, como o senador Eduardo Braga (MDB-AM), em primeiro lugar, com R$ 200 milhões pagos, mas também da oposição, como o senador Ciro Nogueira (PP-PI), ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro, que recebeu R$ 63 milhões em indicações.

De acordo com a informação, a planilha da Secretaria de Relações Institucionais, há pedidos de deputados federais de primeiro mandato, ou seja, que não estavam em Brasília no governo Bolsonaro, quando as verbas foram “apadrinhadas” mas que, no ano passado, procuraram o governo reforçando o pedido pelos pagamentos. É o caso de alguns deputados, como Tião Medeiros, do PP de Paranavaí. Leia mais (para assinantes)

Foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados

Advertisement
Advertisement