Espólio de bilionário: policiais cumprem mandado de busca e apreensão

Foi cumprida na manhã de ontem em Maringá ordem judicial de busca e apreensão de documentos referentes ao inventário de Juarez Artur Arantes (foto), falecido em junho de 2022, um dos homens mais ricos da cidade. Dezenas de documentos haviam sido levados após invasão da residência de um dos filhos de Juarez, que residiu por anos no Hotel Deville

No final de janeiro um boletim de ocorrências foi registrado na Polícia Civil narrando a invasão da residência, localizada na Zona 2, por cerca de oito pessoas; da casa foram levados objetos e documentos diversos, colocados num HBV20 branco. Segundo uma declaração pública, entre os presentes no local estavam três seguranças de uma empresa especializada e uma advogada. A Polícia Militar chegou a ser mobilizada pelos donos do imóvel, onde residem Juarez Antonio Arantes, o Juarezinho, e seu filho Pedro.

Ontem às 6h policiais da 9ª Subdivisão Policial cumpriram o mandado de busca e apreensão expedido pela 3ª Vara Criminal de Maringá, em quatro endereços (um deles, o do inventariante do espólio), de onde foram recuperados sacos e caixas contendo documentos diversos.

A supressão de documentos foi registrada em janeiro como tendo ocorrido em ao menos dois cômodos, que foram arrombados. Teriam sido retirados milhares de documentos, como contratos de arrendamento, escrituras, comprovantes fiscais e registros, o que se configuraria furto qualificado. O fato, resultado de pendenga familiar do bilionário Juarez Artur Arantes, acabou em boletim de ocorrências na Polícia Civil e, depois do pedido de busca e apreensão, também haverá denúncia à subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil por causa da presença de advogada em suposta ação ilegal.

Foto: Arquivo

Advertisement
Advertisement