Operação apreende e descarta produtos alimentícios irregulares em mercado

Balanço da apreensão inclui mortadela e mussarela, entre outros; operação apreende uem torno de 350 quilos de produtos irregulares em mercado

O Procon, da Prefeitura, de Maringá, e a Vigilância Sanitária, da Secretaria de Saúde, apreenderam, na manhã de hoje, aproximadamente 350 quilos de produtos irregulares numa Operação Integrada, para verificar uma denúncia contra um supermercado, na Zona Norte da cidade. Parte dos alimentos inadequados foi inutilizada e descartada no local, na presença dos responsáveis pelo estabelecimento.

As equipes flagraram produtos sem data de validade, vencidos e outros sem etiqueta de identificação. Todos que não poderiam estar à venda num estabelecimento comercial.

O Procon flagrou quase 20 quilos de produtos irregulares. Como mortadela, mussarela, temperos, torradas, melão, farinha e bacalhau. Todos foram inutilizados e descartados no local. O flagrante gerou multa de R$ 29.156,00, baseada no tamanho do local, valores dos produtos e outros fatores calculados pela Fiscalização. “É importante os consumidores denunciarem esses casos. Alimentos inadequados podem fazer mal à saúde de quem consome. É um risco muito grande”, orienta o coordenador do Procon, Edjalma Alves.

A Vigilância Sanitária fez dois procedimentos. Apreendeu e interditou quase 300 quilos de produtos que estavam sem identificação, rastreabilidade ou data de validade vencida. Como carnes, pães, pururuca e café. Que deverão ser recolhidos pelos fabricantes e a documentação da ação ser apresentada na Secretaria de Saúde.

E também foram apreendidos e descartados mais de 30 quilos de produtos, como mortadela, mussarela, farinha e hamburguer, que estavam com data de validade vencida. O estabelecimento já foi vistoriado pela Vigilância Sanitária no mês passado, recebendo orientações.

ERRADO – Também foram flagrados hoje produtos estocados de maneira inadequada. Como alimentos no chão, mercadorias que deveriam estar condicionadas em local específico e estavam com outros produtos no mesmo espaço, entre outras situações. “Os responsáveis pelo supermercado foram orientados e convidados para participarem do Curso de Boas Práticas de Manipulação em Alimentos, fornecido gratuitamente pela Secretaria de Saúde”, informa a diretora de Vigilância em Saúde, Ana Caroline Carnelossi.

As denúncias sobre casos como esse podem ser feitas nos telefones 151 (do Procon) ou 156 (da Ouvidoria Municipal). (Atualizado)

Texto e foto: Andye Iore/Procon

Advertisement
Advertisement