marca do pênalti

Maringá

Um secretário na marca do pênalti

Na semana passada, a tropa de Ricardo Barros foi enviada ao Codem, conselho-secretaria de Maringá, para explicar a missão de dar o lixo a uma empresa privada por 35 anos a um custo 63,64% maior do que custa hoje. O secretário de Saneamento Básico de Maringá, Alberto Abraão Vagner da Rocha, pela primeira vez em público, mostrou ser contra o projeto, de autoria do dono da cidade. Consta que os integrantes do Codem estavam sendo convencidos pelos argumentos de Abraão, que semanas antes havia procurado o arcebispo dom Anuar Battisti para manifestar sua contrariedade à privatização da coleta, tratamento e destinação final do lixo.
Como ninguém pode mostrar contrariedade às ordens de Barros, Abraão estaria na marca do pênalti, como conta Verdelírio Barbosa em sua coluna de hoje (aqui).

Eleições 2014

Secretários na marca do pênalti

Do Blog do Esmael:
Estrategistas do Palácio Iguaçu passaram a noite de ontem em claro analisando o relatório da pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo e RPCTV. Os palacianos buscam culpados pela estagnação de Beto Richa (PSDB) e avanço do senador Roberto Requião (PMDB) na primeira sondagem estadual para o governo do Paraná. Segundo o instituto, Richa tem 39% e Requião 33% e estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) tem 11%. Depois de horas passando a lupa no relatório do Datafolha, os luas-pretas tucanos apontaram o dedo para as áreas de pior desempenho no governo Richa, que são a Saúde com 41% e a Segurança com 17%. Leia mais.