A favor e contra

Do leitor:
A favor de um governo democrático, que não foge do debate, do diálogo com o povo.
A favor de um governo com o apoio da presidenta Dilma.
A favor de um governo que é a favor da vida, em todos os sentidos.
A favor das casas geminadas.
A favor dos centros esportivos abertos e gratuitos.
A favor da livre escolha para diretores das escolas municipais.
A favor das cooperativas e dos catadores de lixo.
A favor da reciclagem do lixo.


A favor de um governo que respeite e dialogue com as instituições, com as igrejas.
A favor de um governo que respeite a imprensa, a liberdade de expressão, o livre debate de ideias.
A favor de um governo que respeite e valorize a Universidade Estadual de Maringá.
A favor de um governo que pense de forma metropolitana e avance nos projetos que tirem Sarandi e Paiçandu da situação de opressão que esses municípios foram formados.
A favor de um governo que valorize as áreas verdes, o Parque do Ingá, o Horto Florestal e demais parques.
Contra o corte mal explicado de árvores pela cidade inteira.
Contra a ditadura nas escolas.
Contra a queima do lixo.
Contra a fila de 4 mil vagas nas creches.
Contra a fila de quase 25 mil consultas especializadas.
Contra a falta de planejamento que dividiu a cidade com o Contorno Norte mal feito.
Contra quem agora quer integrar o transporte coletivo, mas combateu essa proposta durante oito anos e principalmente quando o João Ivo tinha o projeto pronto na Região Metropolitana e Maringá foi o único município que não aceitou integrar. Maringá, diga-se Silvio/Ricardo Barros.
Contra quem prorrogou o monopólio do transporte coletivo.
Contra quem nunca abriu a planilha de custos do transporte coletivo.
Contra quem prometeu construir terminais em dois pontos da cidade e nada.
Contra quem derrubou o prédio da antiga rodoviária de uma forma ditatorial.
Contra quem durante oito anos falou em revitalizar a Brasil e nada.
Contra quem prometeu internet cobrindo toda a cidade e nada.
Contra o grupo que gasta uma fortuna em propaganda para tentar convencer a população de que Maringá éuma cidade sem problemas sociais. Mentira.
Contra quem faz mudanças no trânsito sem dialogar com os comerciantes, como no caso da Morangueira.
Contra um grupo que há anos está no poder e trata Maringá como sua fazenda. E alguns ainda querem continuar sendo tratados como boiada.
Obras, obras, obras…cuidado. Lembra do Maluf, do Partido Progressista (PP) ??????? Quanto mais obras mirabolantes, mais oportunidades para o desvio de dinheiro.
Pense nesta conjuntura, neste contexto.
Maringá precisa, merece e vai mudar.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.