Verri critica inércia do governo Beto Richa

O deputado Enio Verri (PT) voltou a criticar o governo estadual, na tarde desta segunda-feira na Assembleia Legislativa, pela “inércia” e falta de investimentos no Paraná. Verri afirmou que o Estado está parado: “Os recursos federais estão vindo, mas o governo estadual não está fazendo nada de concreto. Se não fosse o governo federal, a situação do Paraná estaria muito ruim”, decretou. O parlamentar desconstruiu a tese levantada pelo líder do governo, deputado Ademar Traiano (PSDB), de que existe uma suposta “discriminação” do governo federal ao Paraná. O deputado tucano argumenta que a mudança no setor elétrico promovida pelo governo federal, que vai diminuir o valor da energia para todos os consumidores, deve provocar a redução de R$ 450 milhões na arrecadação em ICMS no Paraná.

“O que fica claro é que, para o governo do Estado, é mais importante o acionista da Copel do que o povo, do que a indústria, que reivindica há anos a diminuição do preço da energia para que ela possa ser mais competitiva”, disse Verri. “A visão do governo Richa é centralizadora e excludente”, afirmou. Traiano também acusa o governo federal de “punir” o Paraná com o veto a distribuição dos royalties do petróleo, acarretando a perda de R$ 150 milhões para os cofres públicos. “O Paraná nunca perdeu estes recursos porque nunca recebeu. Como perder o que não tem? Será feita a transição e nosso Estado ainda vai ser muito beneficiado no futuro com os royalties do petróleo, pois é justo e republicano que receba”, garantiu Verri.

O deputado do PT ainda corrigiu as informações divulgadas pelo governo Richa de que não há, entre os recursos do Proinfra (Programa de Modernização da Infraestrutura), investimentos federais ou da iniciativa privada. “O governo divulga que 100% do Proinfra é de recursos do próprio Estado, provenientes de uma suposta boa gestão das finanças, mas a capacidade de investimento do Paraná, por meio das secretarias, é de R$ 1 bilhão por ano”, explicou Verri.

De acordo com o parlamentar, dos R$ 6 bilhões em investimentos previstos pelo Proinfra para 2013, apenas R$ 1 bilhão será de recursos do próprio Estado e o restante em investimentos federais, provenientes da iniciativa privada, estatais, empréstimos e outras origens. Para comprovar a hipótese, Verri apresentou na Alep um levantamento dos investimentos do Proinfra para 2013. Segundo o estudo, para a Secretaria de Planejamento, estão previstos R$ 2,2 bilhões em investimentos, sendo R$ 500 mil em recursos do Estado e R$ 1,56 bilhão provenientes de convênios. “Em saúde, o governo irá investir R$ 278 milhões no ano que vem. Deste total, R$ 253 milhões são provenientes de convênios. E de onde vem os recursos destes convênios? Grande parte do governo federal”, esclareceu.

Segundo o deputado, é um “absurdo” o governo Richa divulgar que serão investidos R$ 12 bilhões entre 2013 e 2014 apenas em recursos estaduais. “O governo estadual continua dizendo que o Paraná não recebe recursos federais, mas na sexta-feira a Gazeta do Povo publicou uma manchete sobre o investimento de R$ 1 bilhão do governo federal no Porto de Paranaguá. Por coincidência, é o mesmo montante da capacidade de investimento do governo estadual no Proinfra”, decretou. (Assessoria)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.