Rede pública não tem remédio controlado

MG1

A rede pública de saúde mental em Maringá não está fornecendo o medicamento controlado conhecido como Clonazepam (comercializado com o nome Rivotril). Nas unidades do Cisam e do CapsAd o remédio não está mais disponível aos pacientes; funcionários recomendam que os pacientes adquiram-no em farmácias particulares, já que a previsão é que as farmácias da rede pública só venham a tê-lo no final de fevereiro. O Clonazepam é um antiepiléptico que pertence a família dos benzodiazepínicos que tem como principais propriedades a inibição leve de várias funções do sistema nervoso, tendo ação anticonvulsivante; alguma sedação; relaxamento muscular e efeito tranqüilizante. É indicado em casos de epilepsia do lactente e da criança, especialmente ausências típicas e atípicas (Síndrome de Lennox), Síndrome de West, crises tônico-clônicas generalizadas primárias ou secundárias, sendo igualmente indicado nas epilepsias do adulto e nas crises focais.

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.