Que tal acionar o Conar?

conarLeitora propõe que o maringaense acione o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) por causa da mais recente campanha publicitária do governo do fantoche de plantão. Trata-se de propaganda inverídica, enganosa. Na campanha, exaustivamente veiculada na mídia, a administração Barros aproveita a onda e diz que baixou a passagem do transporte coletivo urbano de moto próprio, na boa, tomando para si os louros, fazendo crer que não hoive queda de braço com o Legislativo nem com a população – e que o assunto foi encerrado. “Creio eu que cara de pau tem limite. Eu proponho acionarmos o Conar, como cidadãos, acredito que tenhamos direito de solicitar o comercial do ar, por evidente intenção de ludibriar o consumidor, no caso, o eleitor”, avalia. Como todas as peças publicitárias oficiais dos últimos anos, esta campanha foi produzida pela Meta Propaganda, com co-responsabilidade com a Secretaria de Comunicação Social (mais conhecida como Secretaria da Propaganda).

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Que tal acionar o Conar?

  1. nois na fita diz:

    Perda de tempo, presta atenção
    no secretário de Comunicação.
    O cara é um zero a esquerda, é
    um fantoche nas mãos de alguém.

  2. Essa sugestão serve também para as propagandas do governo federal, já que tudo que eles arrotam é mentira também.

Deixe seu pitaco