MP investiga comprometimento da permeabilidade da praça da Catedral

catedralmga
Entre as denúncias feitas ao Ministério Público Estadual em Maringá e para as quais foram instaurados procedimentos preparatórios está uma, contra a prefeitura, de que há um projeto de urbanização da praça da Catedral que está sacrificando a área verde, com prejuízos para a permeabilidade do solo, a climatização e o conforto dos usuários locais. Como se sabe, na gestão do ex-prefeito Silvio Barros II (PHS) foi iniciado o projeto para impermeabilização da praça, que passou a perder área verde. O interessante é que a denúncia ao MP partiu de um conhecido empresário da área da construção civil maringaense.
Uma mutuária contemplada com uma casa popular pelo município também foi denunciada à Promotoria por ter vendido o imóvel por R$ 20 mil; a casa foi locada. Outra investigação refere-se à notícia de que franqueados da Todeschini S.A. fecharam os estabelecimentos existentes em Londrina e Maringá, com prejuízos aos consumidores que compraram produtos, pagaram e não os receberam.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.