O custo Barros na Sesan II

Teta pública

São cerca de R$ 200 mil anuais entre salários e encargos gastos para bancar um cunhado dos irmãos e um genro de Silvio II. Isto daria algo em torno de R$ 800 mil em quatro anos de mandato.
Dinheiro por serviços não prestados, na forma da lei que criou as atribuições da secretaria e nem é preciso ser especialista para afirmar isso. Vejam que estamos falando só dos parentes, mas o gasto total da secretaria deve ser debitado à eleição de Pupin e acordos com RB. Boris Casoy comentaria: ‘Isto é uma vergonha’. Há quem diria: é falta de vergonha.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.