Não era tão firme assim

Evandro

Evandro de Oliveira mais perdeu que ganhou ao recuar em algo que tinha espalhado como cláusula pétrea: ele dizia para todo o mundo, incluindo os amigos e futuros eleitores, que não aceitava ser vice-prefeito de ninguém – nem do papa Francisco.
Bastou uma visita recente do ímprobo Silvio Barros II (PP) e uma conversa entre seu filho, o deputado estadual Evandro Junior (PSDB), no final de semana com o ministro interino da Saúde, para que o rumo da conversa mudasse.


Ricardo teria acertado a dobradinha prometendo apoio da família Barros para Evandro Oliveira disputar vaga para deputado federal em 2018. Estrear na política como vice de condenado por improbidade não é para qualquer um.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.