Quem está disposto a fiscalizar?

fiscaliza

De Sir Carvalho, da ONG Vigilantes da Gestão Fiscal, um dos fundadores do Observatório Social de Maringá:

Tenho assistido os candidatos ao cargo de vereador, em diversas cidades por onde passo, e não posso deixar de me manifestar sobre o que tenho visto.
A maioria dos candidatos fala em defender a família, a saúde, a moradia, os animais etc. Não tenho visto, salvo pouquíssimas exceções, candidatos falando em fiscalizar as licitações, fiscalizar as obras, fiscalizar os serviços, enfim, quase ninguém fala da fiscalização.
Outro fator: a maioria sequer tem formação para entender de orçamento municipal, de Lei de Diretrizes Orçamentária, etc.
Muitos são verdadeiras “mulas” do voto, entendido aí, pessoas com alguma popularidade para “carregar” votos para o partido e eleger as figurinhas carimbadas de sempre.
O povo, ora o povo, como sempre, não se apercebe disto e corre o risco de eleger a maioria dos já conhecidos vereadores profissionais.
Apelo aos meus amigos: escolham um candidato qualificado, com compromisso em fiscalizar, pois o que falta ao Brasil é controle. Se houvesse controle nas prefeituras não haveria tanto desperdício e corrupção.
Não reelejam vereadores pois o modelo precisa mudar nas câmaras e estes que aí estão não fizeram o dever de casa: não fiscalizaram.
Em nosso trabalho de controle social das contas públicas nunca vi um vereador em um certame acompanhando um processo licitatório. Nunca.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.