Indícios de irregularidades são identificados também em Maringá

Baratek 10

Em Maringá, pelo menos três beneficiários do programa Bolsa Família aparecem como doadores da campanha de candidatos a vereador (acima, a lista disponibilizada pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania).
O blog fez o cruzamento da lista de beneficiários com a dos que doaram para os candidatos a prefeito e a dos vereadores que buscam a reeleição (18 candidatos, no total), mas pode ser que apareçam mais, já que a lista completa é de 271 candidatos.
Os beneficiários do Bolsa Família identificados numa rápida busca são Pamela Fernanda do Carmo Oliveira, que doou R$ 880,00 para a campanha de Belino Bravin (PP), da coligação Mudança Que Dá Certo; Rosinei Bento Moreira e Aline Ornaghi de Oliveira, que teroam doado R$ 880,00 cada um para a campanha do médico Carlos Eduardo Saboia Gomes, do PMN.
O TSE encaminhou os relatórios de indícios de irregularidades para a Justiça Eleitoral em Maringá, e alguns casos já foram identificados. As irregularidades vão além da simples doação em dinheiro. Os relatórios indicam ainda: doador inscrito como beneficiário em programas sociais do governo, indicando indícios de falta de capacidade econômica do doador; fornecedor sem registro ativo na Junta Comercial, indicando indícios de falta de capacidade operacional; e doador cuja renda conhecida é incompatível com o valor doado, indicando indícios de falta de capacidade econômica do doador.
Aparecem ainda na relação de indícios de irregularidades: doador sem vínculo empregatício nos últimos 60 dias anteriores a doação, indicando indícios de falta de capacidade econômica do doador; doador sócio ou dirigente de empresa que recebeu recursos da administração pública, indicando a possibilidade de repasse indireto de recursos políticos à campanha; cessão de uso de veículo que não está registrado em nome do doador, indicando indícios de fraude na doação estimável em dinheiro de veículo; concentração de doadores em uma mesma empresa a determinado candidato, indicando indício de doação empresarial indireta; fornecedor tem relação de parentesco com candidato ou seu vice, revelando indícios de suspeita de desvio de recursos; entre outras hipóteses.
Além dos programas sociais, o cruzamento de dados pels CPF/CNPJs ocorre nos sistemas Rais, Caged, Receita Federal, Siape, CNE, ordens bancárias, pagamentos realizados por convênios e CAD eleitoral.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.