Mentiras para todos os lados

CCs

Ontem, em pleno horário de expediente, como soi de acontecer nas ditaduras (onde há democracia há mudança de poder), o super-secretário José Luiz Bovo (PP) convocou todos os cargos comissionados para, entre outras coisas, acalmá-los.
É que já circulava a nova promessa cinematográfica do PP, a de que irão demitir 216 CCs se eles continuarem mamando na teta pública por mais alguns anos.

Bovo explicou: foram criados 515 CCs, logo depois da eleição de 2012, mas nem todos foram preenchidos, portanto, ninguém precisava se preocupar que não perderiam a teta.
No final de setembro eram 325 cargos comissionados puros, mais 121 CCs ocupados por servidores efetivos, o que totaliza 446 CCs, sem contar os 523 ocupantes de função gratificada e 437 estagiários. Ou seja, na conta positiva da administração, o corte será apenas sobre 69 CCs, vazios, não ocupados por ninguém, bem longe dos 216 que a coligação faz crer no horário eleitoral.
Isso é enganar o eleitor – e o cargo comissionado, ao mesmo tempo.
(*) Na foto aparece a fuça do presidente de um dos partidos alugados à família Barros, que ficou conhecido por chamar essa mesma família de “porcos” – antes, é claro, de se tornar detentor de uma teta pública, que ajuda a sangrar todos os anos cerca de R$ 25 milhões que poderiam ir para a saúde…
(**) A fala de Bovo soou como uma despedida. Ninguém parece mais acreditar…

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

Deixe seu pitaco