Caríssimos Grillo e Abraão:

sesan

Como titulares da Secretaria de Saneamento de Maringá, a Sesan, nesses quatro anos da administração Pupin/Barros, poderiam responder a alguns questionamentos e observações de um contribuinte:

A Sesan tem razão para existir ou, como pensamos, é totalmente desnecessária e só consumiu dinheiro público? Respondam para suas consciências. Fizeram algo de produtivo, no cargo de secretário, levando-se em conta as atribuições legais? Ou só receberam salários, sem a devida contrapartida? E o quadro de CCs, considera adequados, ou é só um cabide de empregos, inclusive de parentes de políticos?
Penso que este é um exemplo de como o grupo Barros foi nocivo para a Maringá e gostaria que equipe de transição do novo governo passasse um dia acompanhando as atividades desta secretaria, para comprovar o que estamos afirmando. A Sesan, como a Serei, Seac, AMR, para citar alguns casos, sem falar dos Escritórios de representação em Curitiba e Brasília, que graças às nossas denúncias, salvo engano, não chegaram a ser instalados, são provas de que agiam como se fosse donos do dinheiro público, visando muito mais interesses políticos e pessoais. Esperamos que com Ulisses sejas diferente.
PS: Grillo e Alberto podem não responder publicamente, mas sabem que é a mais cristalina verdade. Tanto que até o candidato Silvio Barros admitiu que acabaria com a secretaria.
Alino Rebouças, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.