Empreiteiras transformam terreno público em depósito de entulhos

Descarte

(Atualizado) Caminhões de empreiteiras têm sido vistos implantando um verdeiro depósito de entulhos em terreno público. Na região realizam-se obras públicas de mobilidade urbana nas avenidas Kakogawa e Morangueira.
O material tem sido depositado por caminhões num terreno que pertence à Prefeitura de Maringá, ao lado da avenida Alício Campolina, próximo à avenida Alexandre Rasgulaeff.

A Secretaria de Obras confirmou a blog que o descarte de terra, entulho e outros materiais deveria ser feito na Pedreira Municipal. “O acompanhamento é feito pela prefeitura com a comprovação documental”, informou.
De acordo com a prefeitura, a fiscalização será intensificada. A Semop não informou se será aplicada multa ou outro tipo de sanção por causa do descarte já feito, que tem um quê de trabalho profissional.
O terreno que pertence ao município e que serve de aterro para as empreiteiras que realizam obras nas imediações é muito grande. “Se não tem licenciamento para este tipo de descarte, trata-se de um crime ambiental e que deve receber a devida punição por parte das autoridades responsáveis”, disse ao blog um especialista.
Nas imediações do terreno que está servindo de depósito irregular realizam-se as obras de três estações de ônibus (Extracon Mineração e Obras Ltda., no valor de R$ 6,3 milhões) e a dos corredores de ônibus (Contersolo-Weiller, por R$ 13,4 milhões), recursos de financiamento da Caixa Econômica Federal.
PS – A prefeitura nega que tenha conhecimento de quem está fazendo os descartes irregulares.

Descarte

Descarte

Descarte

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.