Transporte coletivo: reajuste, só com melhorias, reafirma prefeito

O prefeito Ulisses Maia descarta conceder o reajuste da tarifa do transporte coletivo, previsto para entrar em vigor dia 1º de junho, sem a contrapartida de melhorias no serviço prestado pela empresa concessionária. Nota divulgada hoje à tarde pela prefeitura informa que ele reitera posição manifestada em abril ao diretor da TCCC, Roberto Jacomelli.

Em documento entregue a TCCC por ocasião da reunião, a prefeitura pontuou medidas que a empresa deveria adotar até 31 de maio ou estabelecer prazos para o cumprimento das exigências: instalação de câmeras de monitoramento, ar condicionado e wi fi em toda a frota; criação de novos pontos de venda de crédito e recarga de cartões e opção de pagamento da passagem por outros meios além de dinheiro e ações para evitar superlotação no horário de pico.
Ulisses Maia, continua o release da prefeitura, “insiste na apresentação de medidas concretas para melhoria do transporte coletivo para autorizar o reajuste da tarifa e insiste na solução de problema como superlotação e longo tempo de espera nos pontos. “Quem usa o transporte sabe que o serviço é ineficiente, poucas linhas, poucos ônibus, sem conforto algum. Primeiro a empresa tem que investir em melhorias para depois chegarmos a um entendimento sobre o reajuste”, afirma o prefeito.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.