O ministro que fala demais

De Silvana Pires, no jornal Zero Hora, de Porto Alegre (RS):

Ricardo Barros começou 2018 com novas declarações polêmicas. Depois de pérolas como “os homens trabalham mais e não acham tempo para a saúde preventiva”, agora o ministro da Saúde atacou o Judiciário.

Disse que os juízes fazem jogo de ação política sobre as decisões do Congresso, constrangem e ameaçam. Barros afirmou que, no momento em que estava em discussão o projeto sobre abuso de autoridade, prenderam Eduardo Cunha. Depois, quando o assunto voltou à pauta, Geddel Vieira Lima foi para a cadeia. Até a prisão de Paulo Maluf foi criticada. Barros afirmou que a decisão foi exagerada e tomada às vésperas do recesso para “o cara ficar pendurado” até fevereiro. O ministro só se esqueceu de todos os rolos envolvendo Cunha, dos R$ 51 milhões de Geddel e da condenação de Maluf. O timing de Barros também não ajuda. Os atritos entre Congresso e Judiciário têm sido frequentes, e colocar mais pimenta nesse caldeirão não ajuda em nada a relação entre os poderes. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.