Problemas na gestão de custos da frota

Com a intenção de colaborar com a administração municipal para resolver eventuais problemas na gestão da frota de mais de mil veículos, fomos procurar informações e encontramos aqui, que embora tratando de empresas, serve para a prefeitura, penso. Em resumo:

O setor de logística exige preparo administrativo e financeiro para operar da melhor maneira possível. Os custos envolvidos nas ações de transporte podem ser altos, ainda mais se faltar o planejamento necessário para que tudo corra bem. Existem alguns problemas que são típicos do setor logístico e que impactam diretamente no bom funcionamento das empresas, confira quais são os desafios mais comuns e como enfrentá-los.
Feito o planejamento, é preciso estabelecer metas de redução de gastos. Esta etapa requer muita atenção para que as metas de corte estipuladas respeitem as reais necessidades de cada setor da empresa de transporte. No caso da gestão da frota, é possível conversar com os motoristas para compreender quais são as suas reais necessidades e a partir daí elaborar quais serão as metas de redução a ser cumpridas por cada colaborador.
Maquinário exige manutenção: Manutenção é fundamental, mas é preciso analisar qual o melhor jeito de contratar este serviço. Analise quais são as despesas mensais com manutenção e opte pelo serviço que melhor se adequa à necessidade da empresa. Em alguns casos é mais vantajoso optar por um serviço terceirizado de manutenção do que manter funcionários registrados e que trabalham apenas sob demandas pontuais. De qualquer maneira é sempre bom ter em mente que cortar gastos na manutenção pode gerar dores de cabeça muito maiores, por isso nunca deixe de olhar com bastante atenção para este setor.
Meu comentário (Akino): Quero crer que administração Ulisses Maia/Edson Scabora, trata os recursos públicos com o mesmo cuidado que tratam os próprios e por esta razão, os servidores, inclusive comissionados e especialmente secretários, são orientados a buscar a melhor qualidade com menor custo. Analisar o custo/ benefício de recuperar um veículo usado, ou adquirir um novo. Não seria o caso de terceirizar o máximo? Será que vale a pena comprar veículos novos, ou utilizar serviços de táxi ou empresas de aplicativos, como a Uber, no caso de transporte de servidores? Se eu fosse o presidente da Câmara, por exemplo, acabaria com frota. Na prefeitura reduziria drasticamente. Terceirizaria o máximo. Descentralizaria (penso que é um erro centralizar tudo na Semusp). Sobre terceirização e PPP, devo confessar que mudei de opinião e hoje já demonizo mais. Terceirizaria o máximo. Claro que com controle absoluto da sociedade para evitar desvios éticos.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.