Quem estará por trás?

Objeto de recursos e ações para aparentemente tentar inviabilizar sua realização, a concorrência para contratar uma agência de propaganda para a prestação de serviços de publicidade, para atender a Prefeitura de Maringá, parece mesmo ser alvo de concorrentes políticos.

Publicada em 18 de abril do ano passado, a concorrência, estranhamente, teve contra si recursos na justiça e no Tribunal de Contas do Paraná. No último dia 18 o município decidiu revogar a concorrência, para possibilitar a abertura de outras, possivelmente com valor menor e com menor possibilidade de contestação. Legalmente, mesmo uma nota de revogação deve abrir prazo de cinco dias para eventuais recursos – e teria sido isso o que ocorreu esta semana.
Uma agência que ficou na terceira colocação – e que, em tese, não deveria ser importar com a revogação – está contestando, agora, a decisão de revogação. Isso deveria, obviamente, atrasar a abertura de uma nova licitação. Quem está por trás deve ser realmente alguém poderoso, que acredita que, sem gastar com publicidade, a atual administração enfrentará dificuldades eleitorais em 2020.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.