Assessores de deputados…

… que trabalham fora. Lendo esta matéria, e vendo ontem o Jornal Nacional a informação que um dos assessores do deputado Eduardo Bolsonaro recebia mesmo estando fora do país, lembrei de uma distorção que é os chamados escritórios de deputados estaduais, federais e senadores, fora da Câmara Federal, Senado e Assembleias, o que permite que assessores de um deputado federal, por exemplo, trabalhem em Maringá.

O mesmo ocorre com os estaduais e há assessores em diversas cidades.
A meu ver, isso precisa acabar. Assessor deve trabalhar ao lado do deputado ou do senador, e no seu gabinete. Poderia até ter um gabinete virtual, para atender solicitações pela internet. Tenho certeza que alguns novos deputados, que pregam mais a ética, a correção, que já informaram que reduzirão seus gabinetes, não terão, no caso de estadual, assessores aqui em Maringá, sem controle de ponto.
Ou será que não, que depois de eleito tudo muda? O que acha, vereador Jean? Assessor de vereador eleito deputado vira automaticamente assessor de deputado? Só uma dúvida. A resposta teremos nos primeiros dias de fevereiro.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.