Saúde economiza mais de R$ 1,5 milhão por cobranças indevidas

A Auditoria da Secretaria de Saúde economizou neste ano mais de R$ 1,5 milhão com as glosas ambulatoriais e hospitalares (recusa de pagamento parcial ou total das cobranças de prestadores de serviços). Ausência de comprovação de procedimentos realizados ou preenchimento incompleto nos formulários padrões determinaram a negativa dos pagamentos.

Incentivos financeiros da rede de urgência e emergência totalizaram R$ 860.871,26, bem como gestação de alto risco somaram R$ 439.208,29. Já procedimentos de radioterapia, quimioterapia, fisioterapia e hemodiálise R$ 181.270,01. Diárias de internamento de unidades de Terapia Intensiva contaram com R$ 36.382,72 em glosas.
Além do controle e fiscalização dos contratos com recursos do Sistema Único de Saúde de serviços externos, a Secretaria de Saúde iniciou em 2018 a auditoria interna. “A gestão cumpre mais um compromisso de campanha do prefeito Ulisses Maia para acompanhar os próprios serviços”, ressalta o secretário de Saúde, Jair Biatto.
São auditados a atenção básica e serviços de média complexidade ambulatorial e hospitalar. A fiscalização conta com uma equipe formada, neste ano, por profissionais da medicina, enfermagem, psicologia, odontologia, farmácia, direito, contabilidade com especialidade em auditoria que visita as Unidades Básicas de Saúde analisando a qualidade e resolutividade dos atendimentos.
A equipe de auditoria interna verifica nas UBS’s os prontuários eletrônicos, despesas, demandas de ouvidorias, realiza o levantamento de necessidades, acompanha a rotina de servidores, como também faz abordagens junto aos usuários para um relatório do atendimento e assistência de saúde do município. As vistorias também acontecem nos Centros de Atenção Psicossocial e serão estendidas nas unidades de Pronto Atendimento (Zona Norte e Sul)
No Hospital Municipal foi implantada a utilização da plataforma online do Sistema Estadual de Regulação (Sistema MV). A ferramenta de gestão hospitalar auxilia na autorização de procedimentos de alta complexidade. O sistema evita a impressão de documentos físicos, os quais são processados via sistema, além de idas e vindas de malotes, deslocamento de veículos e gastos com combustível, reduzindo retrabalho e otimizando o serviço. (PMM)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.