UFPR penaliza empresas de Maringá por descumprimento de editais

A Universidade Federal do Paraná penalizou três empresas de Maringá por irregularidades decorrentes do descumprimento de editais de licitação.

O pró-reitor de Administração, Marco Antonio Ribas Cavalieri, assinou os avisos de penalidade aplicadas às empresas Tobias Luminosos Ltda. (Jardim Ivemar), impedida de licitar e contratar com quaisquer órgãos da União pelo prazo de 15 dias; MM Materiais Elétricos (Zona 7), impedida do mesmo procedimento por 30 dias; e a Casaroto Comércio Eletrônico de Informática e Tecnologia (avenida Guaíra), impedida de licitar e contratar por 1 ano e multa de R$ 1,4 mil; e referente a 20% em relação ao valor da ata de registro de preços.

ASSISTÊNCIA
A Caixa Econômica Federal contratou o Hospital Bom Samaritano de Maringá, que tem como sócios e administradores Hiran Alencar Mora Castilho e Carlos Augusto Ferreira, para a prestação de serviços assistenciais em várias especialidades médicas, como medicina esportiva, cirurgia de cabeça e pescoço e oncologia, para atender os beneficiários do Programa de Assistência Médica Supletiva (Saúde Caixa).
O extrato de credenciamento foi publicado ontem no Diário Oficial da União.

INSOLVÊNCIA
A juíza de direito substituta Roberta Scramim de Freitas, da 4ª Vara Cível de Maringá, fez publicar edital para conhecimento de credores, terceiros e demais interessados na insolvência civil de espólio de quatro membros de uma família de Maringá.
Os autos da demanda, ajuizada em 1994, apontam um total geral de R$ 59.286.118,79, sendo a maior parte dos credores bancos, cooperativas e factorings.

(Foto: Marcos Solivan/Massa News)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.