Entre os deputados federais, Ricardo Barros é o segundo dono de terras na Amazônia e Matopiba, diz estudo

Ricardo Barros

O maringaense Ricardo Barros (PP) é o segundo maior proprietário de terras entre os deputados federais nas últimas fronteiras agrícolas do país, as regiões do Matopiba (formado pelo estado do Tocantins e partes do Maranhão, Piauí e Bahia) e a Amazônia Legal.

Levantamento feito pelo De Olho nos Ruralistas, aponta que entre os deputados federais ele só perde para Carlos Bezerra (MDB-MT), ex-governador e ex-senador, com 8,9 mil hectares em seu estado. Barros aparece como proprietário de 5,2 mil hectares declarados.
Aquelas regiões concentram a maior parte das terras dos congressistas; a análise leva em conta as fazendas dos donos de mais de 100 hectares de terra, segundo as declarações entregues no ano passado à Justiça Eleitoral.
Ao todo, os deputados federais são donos de 43,9 mil hectares de terra, espalhados por treze estados. Os senadores, apesar de serem em menor número – 81 para 513 deputados – respondem por uma área maior. No total, somam 107,8 mil hectares. Os suplentes de senadores, que são escolhidos durante a formação das chapas, concentram outros 37,5 mil hectares.
A área controlada por congressistas é ainda maior. Muitos deles não colocaram o tamanho das propriedades em suas declarações nem detalhes sobre a localidade. Outros são donos de empresas de agropecuária ou de administração de bens próprios e têm propriedades em nome dessas empresas, e não como pessoas físicas. E, por isso, não são obrigados a divulgar esses dados.
A reportagem é de Leonardo Fuhrmann. Leia aqui.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.