O tempo

Tempo2005

Temos a sensação que o tempo está passando muito mais rápido que antigamente.

Já são quase cinco meses de governo Bolsonaro, e a impressão de perda de tempo, para aprovação das reformas, sobretudo a da previdência, por falta de habilidade o presidente e família, e uma certa dose de ‘maucartismo’, de certos deputados e senadores e fazem chantagem para obter vantagens, pensando muito mais nos interesses pessoais que do pais, é evidente.
A propósito de tempo, filosoficamente falando, vejamos um texto para nossa reflexão:’O tempo é bênção divina que merece respeito. Cada hora que passa é qual trato de terra pronto para responder, conforme o tipo de semeadura.
Bem usado, converte-se em manancial de bênçãos, favorecendo o progresso. Desprezado, termina tomado pelas ervas daninhas dos vícios, que conduzem à estagnação.
Aprende a confiar em Deus e no tempo. Mesmo ante as situações aflitivas, não te partes do Bem, semeando o amor conforme tuas forças. Se fizeres o melhor ao teu alcance, o tempo se transformará em emissário divino, trazendo-te a paz imorredoura nos domínios da consciência.’
Que essas palavras de Scheilla/Clayton Levy, do livro A Mensagem do Dia, sirva para refletirmos sobre o aproveitamento de nosso na atual existência. Diz-se que a vida é curta e que é preciso aproveitá-la. Como estamos aproveitando a nossa? Pensamos no futuro, para depois da condição de encarnados?
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.