Turbulência no Patriota

Um dos primeiros partidos a anunciar candidatura própria a prefeito, o Patriota de Maringá vive momentos de dissensões internos.

A executiva provisória, comandada pelo advogado Eliseu Alves Fortes, é composta por mais 11 pessoas e o vice-presidente, Marcelo Pereira Ramalho, tem sido apontado como desagregador, provocando reclamações. “Turbulência não é bom”, disse um patriota. A irritação com ele é tanta que não se descarta algum filiado pedir sua saída do partido.

PS – O presidente do partido enviou esclarecendo “que nosso grupo é unido em busca do objetivo maior que são as eleições de 2020. Não procede a informação dando conta dos conflitos envolvendo o Comandante Marcelo Ramalho (1° vice-presidente) que desfruta do respeito de todo o grupo”. O blog mantém a informação.

TÁTICA ANTIGA
Especialista em política, ao ler que Ricardo Barros confirmou que terá três candidatos a prefeito de Maringá, em 2020, comentou:
– Ele quer forçar um segundo turno. O golpe, conhecido, já feito por José Janene em Londrina.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.