João ou Jair-sem-braço?

.. Certamente você, caro leitor, já ouviu  esta expressão. Agora mesmo, defronte nosso escritório, uma pessoa passou falando ao telefone e disse: ‘ vamos ter que dar uma de João-sem-braço.

Dar uma de João-sem-braço é uma expressão popular usada para se referir ao indivíduo que é preguiçoso (vagabundo) que se faz de desentendido para não ter que cumprir uma obrigação. Em suma, um João-sem-braço é o indivíduo que finge não entender o que está acontecendo para tirar vantagem de uma situação ou para garantir o seu bem próprio.

De acordo com o Almanaque Brasil, a suposta origem da expressão João-sem-braço para designar pessoas preguiçosas e que fogem de suas responsabilidades remonta à acontecimentos históricos, principalmente quando os países enfrentavam constantes guerras.Em Portugal, por exemplo, os mutilados e feridos eram dispensados de trabalhar ou de combater nas batalhas, devido a condição em que se encontravam. Por este motivo, muitos homens sadios faziam de conta que também não tinham seus membros e, assim, escapavam das suas obrigações para com o país.Com o tempo, a expressão que antes eram interpretada literalmente passou a ser considerada uma metáfora, se referindo às pessoas que se fazem de dissimuladas para evitar cumprir tarefas, por exemplo.

Pensei, pensei, digo eu (Akino), que na política, dar uma de João- sem-braço é muito comum e entre o presidente Bolsonaro e seus filhos, sobretudo  o Carlos isso fica evidente.  O problema é que abusar, pode levar a , literalmente, se perder um braço, uma perna, e aí fica complicada a situação, como diria, Eduardo Santos.

Akino Maringá, colaborador

(Ilustração)

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.