Voto impresso, ‘auditável’, ‘manipulável’, ‘bolsonável’, ‘inacreditável’

Voto auditável é aquele em que o eleitor confirma na hora, na urna

Vamos refletir sobre a insistência de Bolsonaro e bolsonaristas para  aprovação da contagem manual dos votos,  já partir das próximas eleições, citando três integrantes do melhor jornalístico das manhãs do rádio e TV de Maringá, o Pan News, comandado por Paulo Caetano, com participações de experientes jornalistas, como Rigon, Agnaldo e Edivaldo Magro.

Caros Tupan, Luiz Neto e Kim Rafael: Dirigimo-nos a vocês, também integrantes da bancada, para ‘comentar os comentários’, que fizeram na edição da última sexta-feira, após a proposta de emenda constitucional que visa aprovar que, além do voto na urna eletrônica, sejam geradas cédulas, para que sejam contadas ‘publicamente’, na própria seção, após o encerramento das votações. e assim levá-los à uma reflexão mais profunda sobre o assunto, assim como muitos brasileiros que parecem ‘cegos sobre o tema

Para Neto e Kim, que são bem jovens, com idade para ser filhos nossos, naturalmente impulsivos, bolsonaristas, ao que parece, é até compreensível que sigam aquele que muitos jovens ainda consideram ‘um mito’, e no assunto não têm a experiência que já vivemos quando o sistema eleitoral brasileiro  era todo em cédulas de papel.

Mas você, Luiz Fernando Amaral Tupan,  com seus quase 62 anos de janela, na atual encarnação, e que conhece bem o sistema anterior ‘era muito fraudável’, tanto na votação como na apuração, presta um desserviço quando informa, citando um sobrinho que entende de TI, que o sistema eletrônico é fraudável e defende a aprovação da PEC.

Talvez, Tupan, como conhece mais os EUA do que o interior do Brasil, não saiba que adotar o caminho defendido por Bolsonaro pode representar  um caos que ele tanto quer. Imagine a contagem de votos, manualmente, em  cada seção eleitoral, em salas pequenas, sem segurança e com a presença de fiscais, candidatos, e o público, pois o que se defende é a contagem pública? Imagine nas regiões dominadas pelos traficantes e milicianos, alguns candidatos a vereador, deputado, e outros cargos, sem segurança policial, pois seria impossível ter o mínimo de segurança em todos os locais? Bem, o assunto poderia ser resolvido levando às urnas para os ginásios de esportes e locais tradicionais de apuração (não é isso que prevê o relatório do deputado londrinense). Aí o sistema poderia ser fraudado também, com ‘fiscais milicianos e de toda qualidade de criminosos’ pressionando mesários, ainda que sérios em sua grande maioria. Sem contar com roubos, furtos, substituição de cédulas.

Voto auditável é aquele em que o eleitor confirma na hora, na urna. Urnas auditáveis são os testes feitos antes, comprovando que estão zeradas. Encerrada a votação os boletins são impressos e todos podem ter cópia de mandar para seus partidos para conferência. Quase impossível que o resultado seja ‘manipulável’.

É inacreditável que  pessoas com sua experiência, caro Tupan, defendam uma insanidade dessas. Só sendo ‘bolsonável’, e ser bolsonável a essa altura talvez seja uma insanidade. Só um sujeito insano pode agir como ele, em relação às instituições democráticas.

Portanto, pela manutenção do sistema atual com controles aperfeiçoados e  com uma terceira opção, pois, antes que pensem, não sou Bolsonaro nem Lula e votei em Bolsonaro em 2018, voto do qual me arrependo, mas não da sua eleição, apesar dos pesares, necessária naquele momento.

(Foto: Antonio Augusto/TSE)